Sejam bem vindos! Contamos sempre com sua visita e comentários por aqui viu?

Loading...

quinta-feira, 16 de agosto de 2007

Por que o Oriente Médio é um barril de pólvora?

Muito difícil passar uma semana sem que o Oriente Médio ocupe espaço nos noticiários. Atentados de grupos terroristas, assassinatos de líderes políticos e religiosos, bombas, acordos de paz fracassados. Esses temas levam à fácil conclusão de que a região é um verdadeiro barril de pólvora. Mas qual a razão desse dia-a-dia conflituoso? Por que alguns povos da região se odeiam tanto? Na Idade Moderna, a região antes submetida ao imperialismo mesopotâmico, persa e romano, ficou submetida ao chamado Império Turco-Otomano para, depois da Primeira Guerra Mundial, dividir-se sob a influência da Grã-Bretanha e da França, quando começaram a se delinear fronteiras, tornaram-se evidentes os conflitos sociais, políticos e religiosos, além da disputa territorial. Sem identidade própria, e sem ter mais a quem responder, os povos, em sua maioria árabes, passaram a buscar espaço e direitos, originando diversos confrontos.
Ajuda a esclarecer o nível de tensão do Oriente Médio dados do Banco Mundial. De acordo com a instituição financeira, das 14 nações do mundo que gastam mais de 5% do PIB com militarismo, sete estão no Oriente Médio. Outros números revelam que os 20 países encravados no Oriente Médio compraram 40% de toda a produção de armas dos Estados Unidos em 2001. Com exceção de Israel e Turquia, todos os seus países não são democráticos, têm ditaduras ou governos autoritários. Poucos comercializam entre si e poucos têm uma identidade coletiva que una seus cidadãos.

4 comentários:

dj_lu disse...

alem de ser um barril de polvora possui tambem um pavil curto...a revolta é uma interpretaçao feita pela maioria que se sente inferiorizada a aqueles que estao no poder,que nao pensao da forma que seria necessaria para a melhoria de vida.
E sem duvidas sao fatores historicos que se formou devido a luta de interesses de cada um, sem visar a organizaçao populacional que gerou consequencias com os confrontos

Luciara disse...

Realmente, a religião é um dos principais motivos de confrontos no Oriente Médio, devido à grande diversidade e interesses; o que vemos, são líderes sedentos de poder manipulndo cinicamente os sentimentos religiosos das pessoas visando seus próprios interesses em nome de Deus. Em contraste com isso, a Bíblia diz: "Se alguém fizer a declaração: 'Eu amo a Deus', e ainda assim odiar o seu irmão, é mentiroso." (1João 4:20)

Semíramis disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Semíramis disse...

" Paz é semente divina do futuro no solo fecundado do presente, plantada com mãos do sacrifício na quadra fértil do amor!"

O Oriente Médio, que já possui um passado de guerra, deveria ter um pouco mais de consciência de que a mesma não leva a nada além de movimentar cemitérios ou espalhar corpos e lembrar que a religião deve ser usada para apaziguar as nações e não para o contrário.
Quanto a nós...ao invés de ficarmos parados em frente a Tv vendo as coisas acontecerem e "felizes" por não nos atingir diretamente devemos levantar e tomar alguma atitude. Eles também são nossos irmãos, estão tirando um, ou melhor, vários pedaços de nós e por não haver lanços sanguíneos não sentimos.
Precisamos de mobilizações, levantar do sofá, descruzar os braços e ir a luta sem derramamento de sangue. Precisamos de AÇÃO já. O problema e culpa não são só do Oriente Médio!